Programas Medicina Dentária

Remoção Segura das amálgamas dentárias

TEM “CHUMBO” NOS DENTES?

As amálgamas dentárias, convencionalmente conhecidas como “chumbo nos dentes”, utilizadas na restauração, são ligas de metais pesados e mercúrio bastante perigosas para a nossa saúde!

Se tem mais de 40 anos é muito provável que tenha pelo menos uma amálgama em boca. Antigamente, pelas suas propriedades físicas, o chamado “chumbo” era o material de eleição no restabelecimento da forma do dente após a remoção de uma cárie.

Infelizmente, apesar de hoje se saber que estes materiais são prejudiciais para a saúde ainda existem alguns profissionais que os utilizam. Devido às boas propriedades mecânicas as amálgamas eram um material bastante atractivo e utilizado pela sua facilidade de manipulação e alta resistência, no entanto, para este tipo de restaurações era necessário construir cavidades no dente de grandes dimensões e bem retentivas para que o material pudesse ficar bem aderido, já que a sua retenção no dente é mecânica e não química. Este aspeto na prática fazia com que os dentes restaurados possuíssem grandes quantidades de amálgama, deixando os dentes com paredes muito finas.

Uma das consequências mais óbvias deste material, com uma rigidez demasiadamente grande, é a fratura de dente e/ou a pigmentação do dente de cor azulada.

Hoje sabe-se que a consequência menos óbvia e muitas vezes até impercetível, mas a mais grave é a de intoxicação por metais pesados.

A intoxicação não acontece só pelo mercúrio mas também pela liga de metais como prata, estanho, cobre e por vezes zinco. Todos estes metais pesados trazem consequências devastadoras para o organismo. O mercúrio afeta gravemente o sistema nervoso, rins, tecido conjuntivo, etc. O cobre é significativamente tóxico e o estanho pode provocar reações no sistema imunológico. A prata é bastante tóxica para as bactérias intestinais.

Doenças degenerativas graves como: Alzheimer, Parkinson, esclerose múltipla, ou doenças endócrinas, enxaquecas, entre outras, podem beneficiar bastante com a remoção das amálgamas e a desintoxicação do mercúrio.

A intoxicação depende da capacidade que cada um tem em eliminar metais pesados.

NO ENTANTO, A REMOÇÃO DAS AMÁLGAMAS DENTÁRIAS OBEDECE A UM PROTOCOLO BASTANTE RIGOROSO

Aqui praticamos um protocolo internacional de remoção de amálgamas seguindo regras de segurança tanto para o paciente como para o médico que o executa. Está na altura de eliminar as agressões constantes ao seu organismo, já bastam aquelas que vêm do ambiente que nos rodeia e que não podemos controlar.

O protocolo foi desenvolvido pelo IAOMT e consiste em:

isolamento absoluto do dente a tratar da restante cavidade oral

  • Protecção do paciente e dos profissionais
  • Utilização de óculo nasal para fornecimento de oxigénio ao paciente
  • preferir a técnica restauradora indireta

utilizar protocolos de desintoxicação

Não utilizando este tipo de medidas arrisca-se a ficar com sensibilidade no dente ou a ingerir quantidades de mercúrio e metais ainda maiores.

Se tem restaurações a amálgama consulte-nos para que possamos avaliar o seu nível de intoxicação e estabelecermos um plano de tratamento.

Venha visitar-nos numa consulta de avaliação na qual poderá tirar todas as suas dúvidas.

Temos uma equipa de profissionais com muita experiência neste tipo de procedimentos. Damos também formação para outros médicos dentistas porque acreditamos que esta medida deve ser adoptada por todos os profissionais pois é a saúde dos nossos pacientes que está em causa!

 

Teste Compatibilidade de materiais dentários

Cada organismo reage de forma diferente quando exposto a determinados materiais. No caso da boca e dos materiais que colocamos como forma de tratamento, pelo contacto direto que existe com o meio interno, a avaliação destas interações assume uma maior importância.

Torna-se essencial saber se o material que estamos a eleger, ao ser colocado na cavidade oral onde estará em contacto permanente com o organismo, não poderá causar interferências no bom funcionamento do sistema.

Para isso, desenvolvemos um programa de avaliação que nos permite resolver o seu problema dentário sem criar outro no seu corpo.

Se necessita de fazer algum tratamento em breve, informe-se e marque já a sua consulta de avaliação sem qualquer compromisso.

 

Programa controlo de ansiedade ou superação do medo

As idas ao dentista, a ansiedade e o medo andam de mãos dadas na maioria das pessoas. Antigamente, as técnicas e os procedimentos eram diferentes mas com a evolução da medicina dentária e toda a sua indústria nos dias de hoje somos minimamente invasivos e mais atraumáticos que nunca.

Nas Clínicas Viver temos um programa integrado desenvolvido especialmente para as pessoas que têm mais dificuldade em lidar e superar essa ansiedade. Esse programa passa por trabalhar os medos e controlar a ansiedade, desmistificando os cenários e os procedimentos que fazemos.

Cada caso é avaliado de forma específica e em função da necessidade de cada pessoa. Recorremos a várias técnicas e profissionais como hipnose, acupunctura, as constelações familiares, técnicas como o EFT ou PNL. Trabalhamos também com óleos essenciais e terapias energéticas como o Reiki que também podem ser uma mais valia para acalmar o paciente.

Estamos aqui para o acompanhar e apoiar neste processo no qual a sua saúde é o objectivo final, informe-se e marque já a sua consulta de avaliação.

 

Oclusão e dor orofacial

Poucas pessoas sabem a influência que a forma como encaixa os seus dentes tem no seu dia-a-dia. Dores de cabeça recorrentes, tensão muscular na face e pescoço, estalidos quando abre e fecha a boca, ranger os dentes, são apenas algumas manifestações de problemas na oclusão dos dentes. Muitas destas situações poderão ainda ter outros factores desencadeantes de base, tais como, o stress, a ansiedade, os bloqueios emocionais, etc.

Ao trabalharmos de forma integrada desenvolvemos um programa que tem como objectivo solucionar o seu problema identificando as causas, avaliando as necessidades específicas e corrigindo através da integração dos profissionais das várias áreas da clínica.

Não basta apenas colocar uma goteira de relaxamento se não tentamos corrigir os hábitos de vida, os focos de stress e encontrar mecanismos ou actividades que ajudem o paciente a melhorar o problema.

O yoga, a meditação, o exercício físico, a dança, as técnicas de PNL, etc são ferramentas que prescrevemos com frequência aos nossos pacientes. Além disso, existem técnicas e dispositivos como tratamentos com ozono, terapia neural, aromaterapia, acupunctura que ajudam muito no alívio dos sintomas.

Trabalhamos com pessoas, para as pessoas. Deixe-nos ajudar e marque já a sua primeira consulta de avaliação sem qualquer compromisso.

 

Grávidas

A fase da gravidez é a melhor do mundo. A sensação de ter um ser pequenino dependente e a crescer dentro de nós faz-nos alterar todas as prioridades na nossa vida.

Nesta fase a palavra de ordem é a prevenção. Prevenir a necessidade de tratamentos mais invasivos e que possam interferir com o bem-estar quer da mãe, quer do bebé.

Nas Clínicas Viver desenvolvemos um programa a pensar nas mães e nos seus futuros bebes que inclui todos os cuidados necessários nesta fase, seja em termos de higiene oral, seja através de consultas de aconselhamento e formação dos cuidados dos primeiros meses de vida dos bebes.

Viva estes meses da melhor forma, o seu bem-estar e o do seu bebé são a nossa prioridade. Venha conhecer-nos e saiba o que lhe podemos oferecer.

 

Teste de risco para as doenças orais

Cada pessoa tem necessidades específicas. Por vezes temos hábitos, condições orgânicas ou mesmo genéticas que nos distinguem grandemente do outro pelo que se torna necessário adaptar tratamentos e hábitos de vida.

Existem vários métodos para avaliar as necessidades específicas de cada pessoa e avaliar os seus terrenos. Por exemplo, as pessoas cujo organismo tem mais características ácidas podem ter maior tendência para doenças orais, tornando-se necessário corrigir o terreno de base ácido recorrendo a suplementação e modificações na própria alimentação.

A utilização de tiras de papel que medem o pH da saliva, o cultivo de bactérias orais como os Lactobacillus e os Streptococcus mutans, os testes mineralograma e a bioressonância são algumas das ferramentas que podemos utilizar para avaliar o risco de cada pessoa e tomar medidas preventivas.

Faça a sua avaliação, o importante é atacar o problema pela sua base.

 

Especial crianças

Quanto mais cedo se começar a controlar o meio oral das crianças maior a probabilidade de nunca se ter que efectuar nenhum tipo de tratamento mais invasivo!

A pensar nas nossas crianças as Clinicas Viver desenvolveram um programa que poderá integrar as várias áreas da clínica, desde a nutrição, o modo de vida, a medicina dentária e a medicina integrativa e que tem como objectivo prever / antecipar da melhor forma possível as necessidades específicas de cada criança, avaliando o seu terreno e implementando medidas preventivas. O objectivo é equilibrarmos o meio interno para que não tenhamos que fazer nenhum tipo de tratamento dentário.

O ensino da alimentação mais correcta, da importância da mastigação e da respiração oral, do equilíbrio emocional, dos hábitos de higiene e medidas que mantenham o pH intra-oral equilibrado, entre outras coisas, são factores fundamentais para caminharmos lado a lado com as crianças contribuindo para um futuro adulto mais saudável.

Além disso dispomos de ferramentas diferentes para trabalhar o medo e a ansiedade das consultas. Uma criança que se conhece a si própria e que sabe controlar e gerir as suas emoções será seguramente um adulto mais feliz.

Podemos ajudar. Marque uma consulta de avaliação para saber mais informações.

 

COMO SABER SE CORRO O RISCO DE DESENVOLVER CÁRIES DENTÁRIAS?